Por José Antonio L Oliveira

Eu e minha esposa Marjori viajamos desde nossa lua de mel quando fizemos nossa primeira viagem para Gramado no Rio Grande do Sul, nestes anos conhecemos muitas localidades espalhadas pelo mundo, algumas mais de uma vez e todas elas foram marcantes de alguma forma.

A pretensão deste blog é o de registrar nossas viagens e compartilhar, com amigos e pessoas interessadas, dicas e situações que possam ajudar em futuras viagens.

Locais interessantes, costumes, restaurantes, hotéis, alugueis de carros, situações engraçadas, situações não tão engraçadas, enfim será um local onde poderemos trocar informações.

Espero que o conteúdo possa, no mínimo, estimular seus desejos de viajar e conhecer o mundo em que todos nós vivemos.

De tempos em tempos, não dá para precisar, irei postando as outras viagens que já fizemos.


Agradeço antecipadamente toda contribuição.


Abraços


José Antonio L Oliveira




Clima pelo Mundo

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Machu Pichu e Atacama

O desafio para esta viagem era conhecer o deserto do Atacama e as ruínas de Machu Pichu, e para isso teríamos 15 dias, dos quais o primeiro e o último seriam destinados aos voos de ida e volta.

Nossa prioridade era o deserto de Atacama e por isso resolvemos deixa-lo para a segunda parte da viagem


Machu Pichu




A imensidão do deserto do Atacama




Dessa forma nosso roteiro contemplava, primeira semana Machu Pichu no Perú e a segunda semana Deserto do Atacama no Chile, finalizando em Santiago.


O ideal seria seguir direto para Lima e de lá ir para Machu Pichu, depois seguir para Santiago e de lá ir para o Atacama, porém quando apuramos os preços de passagens aéreas com múltiplos destinos percebemos que o custo iria às alturas, sem trocadilho.

Decidimos que se quiséssemos manter o roteiro original teríamos que fazer vôos internos e entre as capitais.

A melhor forma que encontramos para executarmos este trajeto foi reservar um voo ida/volta para uma das capitais, e como tínhamos em mente por terminar a viagem conhecendo Santiago foi por esta capital que optamos.

Foi  exatamente  isso  que  fizemos, foram  oito  vôos  no total, e ao final ficou mais em conta do que os múltiplos destinos possíveis.

Então nosso roteiro ficou assim:


  1ª dia - Voo São Paulo/Santiago
  2º dia - Santiago
  3º dia - Voo Santiago/Lima e duas horas depois voo Lima / Cusco
  4º dia - Trem Cusco/Machu Pichu ( também conhecida com Águas Calientes)
  5º dia - Visita ao sítio de Machu Pichu e retorno de trem Machu Pichu/ Cusco
  6º dia - Voo Cusco/Lima
  7º dia - Voo Lima/Santiago
  8º dia - Voo Santiago/Calama e transfer Calama/San Pedro de Atacama
  9º dia - Atacama 
10º dia - Atacama
11º dia - Atacama
12º dia - Transfer San Pedro de Atacama/Calama e Voo Calama/ Santiago
13º dia - Santiago
14º dia - Santiago
15º dia - Retorno voo Santiago/São Paulo

Foi corrido? Foi. 

Mas foi muito divertido também, mesmo por que o tempo de voo mais longo que tivemos nesses trajetos foi de 4 horas e 20 minutos (GRU/SCL), ou seja, não foram tão desgastantes como poderia se imaginar.


Nessa aventura tivemos tempo para conhecer Cusco, passamos uma tarde e duas noites, e deu para perceber que a altitude da cidade pode influenciar algumas pessoas, afinal estamos falando de uma cidade à 3500 metros de altitude

Vale sagrado dos Incas em Cusco


Uma viagem de 3 h 40 min  de trem nós levou de Cusco para Machu Pichu, também conhecida por Águas Calientes.





Trem chegando em Águas Calientes












Conhecemos a cidade de onde saem os passeios para Machu Pichu e posso dizer que um dia basta pois a cidade é minúscula, dá para conhece-la durante uma tarde à pé.




As ruínas de Machu Pichu são fantásticas e valeu todo nosso esforço em conhece-las, e não é à toa que pessoas do mundo inteiro vão até lá.






Lima, passamos somente um tarde/noite e neste curto espaço de tempo chegamos a conclusão que vale uma viagem para conhece-la melhor. Voltaremos em Fevereiro próximo para conhece-la.



San Pedro do Atacama, um oásis, que virou cidade no meio do deserto, aliás uma cidadezinha muito charmosa. De onde partem os passeios para explorar esse deserto que é o mais árido do mundo e o mais alto também, localizado a mais de 2400 metros acima do nível do mar e com uma umidade relativa quase sempre abaixo dos 10%.


A cidade de San Pedro de Atacama
Caminhão adaptado para o deserto
Atacama



Voltamos para Santiago e com três dias deu para conhece-la em sua essência, assim como Vale Nevado, Vinã del Mar e também uma vinícola, para estes passeios alugamos um carro.


Dicas interessantes



- Você pode comprar antecipadamente via site:
    - os ingressos para Machu Pichu
    - as passagens de trem Cusco/Machu Pichu
    - o transfer de Calama para San Pedro de Atacama
    - os transfers dos aeroportos para os hotéis
    - o aluguel do Carro

- Em Machu Pichu compre no dia anterior ao passeio a passagem do ônibus que o levará para as ruínas.

- No dia do passeio vá bem cedo para o local de saída dos ônibus, pois fica lotado desde as 4:30 da manhã, sendo que o primeiro ônibus somente saí as 6:00

- Em Atacama veja a possibilidade de alugar um hotel que esteja próximo ao centro da cidade, pois apesar dela ser pequena, algumas ruas que já não fazem parte do centro não tem iluminação. Isso se você tem intenção de sair a noite para conhecer a cidade, pois tem bons restaurantes.

- Quando for contratar os passeios em Atacama não esqueça de pechinchar, sempre será possível conseguir um preço melhor pois há várias empresas que prestam o mesmo serviço, e busque obter detalhes sobre quais serviços e como são prestados, pois muitos passeios ficam a mais de 100 km da cidade e o tipo de transporte acaba sendo essencial já que você terá que acordar muito cedo para faze-lo.



Para as pessoas que quiserem saber dos detalhes da programação desta viagem basta clicar neste link (machu pichu atacama) para baixar uma planilha com a descrição dos voos, dos hotéis,  dos restaurantes, dos transfers e dos passeios, tempos de deslocamentos.   

Aqui fica a última dica, "Vá Passear" pois este bem nunca se depreciará.

Até a próxima viagem.